O escritório de arquitetura Vereda Arquitetos, com sedes em São Paulo e Goiânia, teve seu projeto selecionado no concurso para a nova sede do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e do Instituto de Arquitetos do Brasil departamento do Distrito Federal (IAB/DF), que será construída em Brasília. Participaram do competição 218 escritórios de todo o país.

Um diálogo para o avanço da Arquitetura

O entendimento entre CAU e IAB para a construção de suas sedes é um fato a ser comemorado pelos arquitetos. Revela um diálogo consistente iniciado e que desde já frutifica para o avanço da nossa disciplina.

O projeto que apresentamos para as suas sedes quer ser a expressão deste diálogo: uma proposta que não apenas coloca no mesmo lote duas construções independentes e não somente divide um único edifício em dois setores. Superando essas duas simplificações, propomos um conjunto edificado que considera as especificidades de cada programa e as expressa em distintas construções, que entrelaçadas compõem um projeto integral e coeso, que se revela através da complexidade dos espaços ao mesmo tempo que preserva as independências necessárias.

Com essa premissa, o projeto organiza os programas em diferentes edificações, e as distribui a partir da cota pública do térreo em dois conjuntos: sob o térreo, como um embasamento que recompõe a topografia do terreno, estão as áreas de trabalho, de caráter corporativo; no térreo e acima dele, como volumes distintos e suspensos, estão os programas de caráter mais público.

Áreas Corporativas X Áreas de Público – Nos dois pavimentos de áreas corporativas que se encontram sob o térreo público, CAU e IAB estão lado a lado, em dois blocos completamente independentes e ao redor de um grande vazio arborizado. O pavimento térreo é definido por um grande espelho d’água e uma travessia aérea, sobre o grande vazio e entre a copa das árvores, que conecta os acessos as duas instituições. Duas entradas organizam as prumadas de circulação vertical de cada uma delas, em extremidades opostas e que conectam cada área corporativa às suas respectivas áreas de caráter mais público [IAB-Centro Cultural e CAU -Plenário, Comissões e Centro de Documentação] que se localizam em parte do térreo e nos dois pavimentos acima, em construções distintas. Os volumes do Auditório do IAB e do Plenário do CAU se conectam aos seus programas complementares a as suas respectivas instituições através de um foyer em ponte, que entrelaça o conjunto e faz com que Auditório e Plenário estejam ‘pousados’ sobre suas instituições parceiras. Esta travessia também revela em seu percurso todo o conjunto edificado, acentuando o grande vazio arborizado e as relações entre as instituições.

Ambiência / Arquitetura e Natureza – Os jardins com espécies do cerrado brasileiro situados na cota 1063,30 e o espelho d’água no nível térreo [1070,50] são centrais em nossa proposta. Constituem um sistema paisagístico que antes de tudo integra arquitetura e natureza numa ambiência contemporânea. Além disto proporcionam uma ótima qualidade ambiental, equilibrando umidade do ar e sombreamento nos períodos mais desfavoráveis. Deste modo decidiu-se por localizar os ambientes corporativos justamente nos níveis mais baixos, mais próximos do jardim, e mais sombreados também pelos volumes das áreas públicas dispostos níveis acima. Assim conseguiu-se a melhor qualidade ambiental para estes espaços de trabalho minimizando o uso dos sistemas artificiais de condicionamento de ar e liberando as fachadas de elementos de sombreamento.

Edifício – Nos dois andares corporativos o edifício se conforma a partir de duas grandes empenas laterais de concreto que concentram todas as áreas técnicas, sanitários e circulações verticais com pequenas aberturas apenas para iluminação e ventilação dos banheiros e salas dos fan-coils. O restante das fachadas é todo fechado por vidros transparentes que se abrem para os jardins ao centro, frente e fundos.

Nos andares superiores as áreas públicas também se conformam a partir das empenas de concreto. No IAB, a partir de sua recepção no térreo tem-se acesso as salas multiuso em dois pavimentos, seguido do foyer no percurso até o auditório. No CAU, da mesma maneira, a partir da recepção se dá o acesso as salas das comissões em dois pavimentos seguido do foyer no percurso até a grande sala do plenário.

No pavimento térreo, animando o nível da entrada, estão localizados o Restaurante e bar do IAB e o Centro de Documentação do CAU, acessíveis pelas praças de chegada de cada instituição.

Por fim esperamos que o nosso projeto seja um retrato contemporâneo da arquitetura brasileira e possa também contribuir com o avanço da nossa disciplina no Brasil.

FICHA:
ARQUITETURA – VEREDA ARQUITETOS
João Paulo Meirelles de Faria
Juliana Braga
Ary Henrique de Souza Neto
com Leonardo Sette
e João Piza

COLABORADORES
Bruno Manso
Danilo Honorato

CONSULTORES
Andrea Ramos de Lima Piza
Juliana Bechara Saft
Maria Elvira Correia Zarzur
Regina Manami Nakandakari

Serviço:
Vereda Arquitetos
(11) 3219-0027
http://www.vereda.pro